Notícias

26.01.2009

4,3 mil recuperam o poder de compra em Blumenau

Compartilhe: Google+

Blumenauense usa dinheiro do FGTS para quitar dívidas e limpar nome no comércio da cidade
BLUMENAU - A liberação do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) está fazendo a alegria dos comerciantes blumenauenses no início deste ano. Nos primeiros 20 dias de 2009, 4.307 consumidores procuraram o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) para quitar dívidas e limpar os nomes. O número é 145% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando 1.754 devedores deixaram a lista negra do comércio.
Dezembro de 2008 já havia registrado números atípicos. Em relação a dezembro de 2007, o número de reabilitações subiu 75%. Somando dezembro aos 20 primeiros dias de janeiro, 12.062 consumidores deixaram o SPC. Levando-se em conta que outros 9.396 blumenauenses fizeram dívidas e entraram no sistema no mesmo período, tem-se um volume de 2.666 novos consumidores no mercado.
– Isso é bom por dois motivos: libera os consumidores para comprar novamente e reforça o caixa dos lojistas – conclui o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Blumenau, Marcelino Campos.
Ele atribui a corrida em busca da ficha limpa à liberação do FGTS, lembrando que os índices de recuperação de crédito costumam ser pouco significativos nesta época do ano. De acordo com Campos, costuma ocorrer justamente o contrário em janeiro:
– Geralmente o número de registros cresce, pois muitos consumidores exageram nas compras de fim de ano e não dão conta de todos os compromissos.
Teve comerciante recebendo dinheiro que já considerava perdido. Em uma loja de artigos esportivos, cujo cadastro de devedores inclui débitos de quase cinco anos – após este período o nome do devedor deixa o cadastro do SPC –, o gerente comemora a recuperação de aproximadamente R$ 70 mil. O valor equivale a cerca de 5% do que a loja tem a receber.
– Sem a liberação do FGTS seria bem mais difícil receber, e qualquer reforço de caixa é sempre muito bem-vindo – constata Moacir Angelo Eleuterio.
O economista Cláudio Formagi, do curso de Economia da Uniasselvi, observa que a decisão de saldar dívidas com o dinheiro do FGTS está correta. Principalmente para quem tem conta bancária no vermelho.
– Enquanto os juros do cheque especial chegam até 12% ao mês, o FGTS remunera menos que a poupança – justifica o professor da Uniasselvi.
Para o comércio, os efeitos da liquidez extra vêm em boa hora. Como nos meses de janeiro e fevereiro as vendas costumam cair bastante, o fenômeno traz alívio.
– Isso pode dar ao comércio importância estratégica em caso de agravamento da crise – conclui Formagi.
O presidente da CDL destaca que o fenômeno comprova a boa índole do consumidor blumenauense, que, de acordo com Campos, só deixa de pagar as dívidas quando realmente não consegue honrá-las.

Recuperação
Números do SPC mostram que consumidor está usando o FGTS para recuperar crédito:
- Nos 20 primeiros dias de janeiro, o número de cancelamentos de registros no SPC subiu
145% em relação a igual período do ano passado
- O número de novos registros cresceu a um ritmo bem menor, de 30,9%
- Dezembro também registrou aumento na recuperação do crédito, com alta de 75%
no cancelamento de registros, em comparação com dezembro de 2007
- De dezembro de 2008 ao dia 20 de janeiro deste ano, 12.062
consumidores deixaram o SPC e se reabilitaram a comprar no comércio blumenauense.
 
No mesmo período, outras 9.396 pessoas foram incluídas no cadastro do sistema
 

Fonte: Jornal de Santa Catarina

 

Newsletter

©2016 - CDL Blumenau - Todos os direitos Reservados - Desenvolvido por SEDIG.
Topo