Notícias

17.02.2009

Comércio de SC inicia o ano em ascensão

Compartilhe: Google+

Liberação do FGTS às vítimas das enchentes resultou na recuperação de crédito e no aumento das vendas
Os estragos deixados pelas enchentes ocorridas em novembro último e a crise econômica mundial, acentuada a partir de setembro do mesmo ano, não foram suficientes para esmorecer o comércio de Santa Catarina. No primeiro mês de 2009 houve uma recuperação de crédito de R$ 28 milhões (56% do total de registros), frente ao mesmo período do ano passado, segundo dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), ligado à Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado (FCDL). Blumenau, uma das cidades mais prejudicadas pelas águas, foi responsável por grande parte desse montante, alcançando o número recorde de 178,11% de quitação de inadimplência em janeiro, comparado a 2008. Nos primeiros 10 dias de fevereiro esse percentual ficou em 164,31%.
De acordo com Jorge Luiz Caresia, gerente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Blumenau, esta situação é praticamente inédita, considerando-se um período tão curto. “Com a liberação do FGTS, uma grande quantidade de dinheiro passou a circular na cidade e os consumidores inadimplentes deram preferência ao pagamento das suas dívidas", avalia Caresia. Para ele, este fato é muito importante, pois, além de colocar no mercado novos consumidores que agora têm crédito para comprar, também demonstra a boa índole do blumenauense. “Em uma só loja a recuperação foi de R$ 70 mil”, comenta.
Caresia acredita que esse cenário ainda deve acarretar um crescimento nas vendas nos próximos meses. Alguns setores, inclusive, já confirmam isso. Alexandre Reis, gerente de vendas da DVA Automóveis, assinala que nos meses de dezembro e janeiro as vendas superaram as expectativas e que fevereiro está seguindo a mesma tendência. “Mais de dois mil carros foram sinistrados na região e só em Blumenau foram liberados 380 milhões de reais de FGTS. Por isso estamos passando por um processo inverso, de mercado aquecido. Em janeiro vendemos 100% a mais que no mesmo período do ano passado”, conta.
Outro segmento bastante procurado, especialmente pelas vítimas das chuvas, é o de móveis e eletrodomésticos. Em Balneário Camboriú, o setor apresentou incremento de 15% em janeiro, comparado ao mesmo período de 2008 – resultado que contrasta com a queda de 8% nas vendas do comércio em geral. A exemplo do ocorrido em Blumenau, o carro-chefe da movimentação nas lojas de móveis e eletrodomésticos foi a liberação do FGTS e de dois salários mínimos, concedidos pela prefeitura, às pessoas atingidas pela enchente. Altamir Teixeira, presidente da CDL de Balneário Camboriú, diz que isso acarretou um aumento de 25% na reabilitação de crédito, o que o que refletiu de forma positiva nas vendas. 
 

Fonte: Palavra Comunicação

 

Newsletter

©2016 - CDL Blumenau - Todos os direitos Reservados - Desenvolvido por SEDIG.
Topo