Notícias

04.02.2009

Sebrae continua apoiando atingidos pelas enchentes em SC

Compartilhe: Google+

Com o objetivo de proporcionar viabilidade econômica, social e ambiental, retorno da geração de renda, além da retomada e garantia das oportunidades de trabalho, as atividades do 'Programa Recuperação Empreendedora' continuam sendo feitas nas agências do Sebrae. Dessa forma, micro e pequenos empresários das regiões atingidas pelas enchentes e deslizamentos em Santa Catarina podem receber consultoria gerencial e técnica gratuitas.
O programa disponibiliza atendimento coletivo e ou individual e consultoria gerencial e técnica para o diagnóstico, planejamento e implantação de projetos de recuperação dos empreendimentos atingidos pelas enchentes e deslizamentos. Para desenvolver as ações, o Sebrae disponibilizou 60 técnicos e consultores credenciados e está investindo R$ 4,5 milhões.
Na primeira etapa do programa foram cadastrados 1345 micro e pequenos empresários, nos três mutirões realizados. As instituições financeiras, parceiras do programa, também participaram do mutirão apresentando as linhas de créditos disponíveis para financiamento. “O mutirão visou atender de forma ágil e concentrada as pequenas empresas que sofreram graves prejuízos materiais e financeiros com a enchente e que estavam ameaçadas de fechamento. Mas é importante destacar que o atendimento continua nas agências do Sebrae”, explica o superintendente do Sebrae/SC, Carlos Guilherme Zigelli.
O assessor de Projetos Especiais do Sebrae/SC, Mario Gesser, reforça que todas as regiões afetadas estão recebendo atendimento, no entanto, a consultoria é intensificada nos municípios de Blumenau, Brusque, Itajaí, Itapema, Jaraguá do Sul, Joinville, São João Batista e Timbó. “Muitos empresários tem procurado as agências do Sebrae para solicitar consultoria e o trabalho de acompanhamento deverá se estender até o mês de junho, quando acreditamos que as empresas já estarão restabelecidas”, comenta.

Estimativas
Na região mais duramente castigada, formada por 45 municípios do litoral, Vale do Itajaí, Vale do Tijucas e norte do Estado , há 80 mil micro e pequenos empresários direta ou indiretamente afetados pelas enchentes que assolaram Santa Catarina. A água das chuvas e lama dos deslizamentos de encostas invadiram milhares de pequenos estabelecimentos, danificando ou destruindo instalações, máquinas e equipamentos.
O diretor-técnico do Sebrae/SC, Anacleto Ortigara, destaca a importância da micro e pequena empresa para o Estado catarinense. São 133.734 empresas que geram 1.333.292 empregos formais. As microempresas correspondem a 86% (115.162 estabelecimentos) e as pequenas empresas correspondem a 12% (16.138). Juntas, as micro e pequenas empresas respondem por 57,5% dos empregos formais de SC, por grande parte da economia catarinense, pela promoção social e pela geração de renda, além de ser agente de redução da desigualdade social.
“Com este quadro atual de dificuldades, o pequeno empresário necessita de projetos e programas de recuperação, para readquirir o que perdeu e refazer seu negócio”, salienta Ortigara.

 

Newsletter

©2016 - CDL Blumenau - Todos os direitos Reservados - Desenvolvido por SEDIG.
Topo