Notícias

28.04.2009

FCDL/SC é contrária ao projeto de lei que sugere transferir para sexta-feira os feriados nacionais que caírem no meio da semana

Compartilhe: Google+

O recesso do Dia do Trabalho, comemorado na próxima sexta-feira (01), fechará um ciclo atípico: será o terceiro feriado em quatro semanas. Se muitos comemoram a seqüência de folgas, o mesmo não se pode dizer dos empresários. Principalmente os da indústria e comércio aberto, que precisam fechar as portas nesses dias, reduzindo o faturamento no fim do mês. Para amenizar esse problema, tramita no Senado um projeto de lei que pretende mudar a data dos feriados que caem no meio da semana, evitando as folgas prolongadas.
Estudo da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) mostra que os feriados nacionais e estaduais causam perdas de R$ 155 bilhões por ano aos negócios na indústria e no comércio, em todo o País. Para reduzir o impacto, os deputados Marcelo Castro (PMDB-PI) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ) apresentaram projetos de lei que adiam para a sexta-feira os feriados nacionais que caírem no meio da semana. As exceções seriam os feriados de Ano novo, Independência e Natal.
No comércio varejista, no entanto, a proposta não agradou. Ao tomar conhecimento do projeto, a Federação das CDLs de Santa Catarina (FCDL/SC) manifestou a necessidade de adiantar os feriados para segunda-feira ao invés de adiá-lo. “Se for transferido para sexta, como proposto, acabará com o movimento do sábado, que sempre é um bom dia para vendas”, defende Sérgio Medeiros, presidente da FCDL/SC. Medeiros entende que se os feriados forem na segunda, grande parte da população irá viajar após o expediente de sábado, e a seqüência de recesso não afetará tanto o desempenho do setor. Segundo ele, o pedido de mudança partiu de algumas CDLs do Estado.
Medeiros pondera que folgas nas sextas poderiam beneficiar cidades turísticas de Santa Catarina, mas lembra que os demais municípios, onde o turismo não é intenso, seriam prejudicados. “O turismo é importante, mas é o comércio que faz a economia girar”, diz. A proposta de adiantamento para segunda tem apoio também de CDLs de cidades litorâneas. “Com feriado na segunda, seria ainda melhor, pois pegaríamos dois públicos: os de pessoas que não trabalham no sábado, e viajam independente do dia, e o de pessoas que trabalham no sábado, e não podem emendar o feriado caso ele caia na sexta”, afirma Altamir Osni Teixeira, presidente da CDL de Balneário Camboriú.
Entre os consumidores não é difícil encontrar quem defenda a necessidade de acabar com os feriados que caem no meio da semana. “Quando tem feriado prolongado, acho que até atrapalha o trabalho, pois se perde mais um dia útil”, diz a publicitária Vanessa Josioski, que tem preferência pelas folgas na sexta-feira para “não perder o ritmo da segunda”. Já a manicure Fabiane, que trabalha de segunda a sábado no Centro de Florianópolis, tem opinião contrária. “Para o nosso salão de beleza, feriado na segunda-feira seria ideal, pois teríamos mais movimento e os clientes poderiam se programar melhor. Como consumidora, também prefiro feriado na segunda, já que no sábado o comércio é muito mais tranqüilo”, comenta.

 

Fonte: FCDL/SC

 

Newsletter

©2016 - CDL Blumenau - Todos os direitos Reservados - Desenvolvido por SEDIG.
Topo