Notícias

13.06.2013

Projeto Magia de Natal é aprovado pelo Ministério da Cultura

Compartilhe: Google+

Aprovação garante a captação de recursos através da Lei Rouanet

 

A importância cultural da Magia de Natal, mais uma vez, foi reconhecida pelo Governo Federal. Na última semana, o Ministério da Cultura aprovou o projeto e a captação de recursos através da Lei de Incentivo à Cultura, também conhecida como Lei Rouanet.

 

A lei é uma política de incentivos fiscais que permite a aplicação de parte do Imposto de Renda (IR) devido em ações culturais, tanto por pessoas físicas quanto jurídicas. Assim, além dos benefícios fiscais sobre o valor do incentivo, esses apoiadores fortalecem iniciativas ligadas à cultura.

 

Pessoas jurídicas tributadas com base no lucro real podem destinar 4% do imposto ao projeto e pessoas físicas podem aplicar 6%. O abatimento é de 100% do valor patrocinado.

 

Para 2013, o Ministério da Cultura aprovou a captação de R$ 2.689.070,00. A arrecadação deve começar nos próximos dias, assim que o órgão liberar a busca destes recursos.

 

O presidente da Comissão Organizadora da Magia de Natal, Paulo César Lopes, está otimista com a participação das empresas da região. “Com o crescimento do projeto e da repercussão do evento pelo Brasil, a captação deve ser mais significativa neste ano. Esperamos que as empresas participem e ajudem a fomentar o turismo de eventos na região”, comenta Lopes.

 

Empresas e cidadãos interessados em colaborar devem entrar em contato pelo telefone (47) 3221-5735 ou na sede da CDL, na Alameda Rio Branco no 165, no Centro de Blumenau.

 

Quem não se enquadra na Lei de Incentivo à Cultura pode ajudar a Magia de Natal através dos carnês de contribuição. Cada carnê tem nove prestações de R$ 49,00. Cerca de 7.000 empresas receberam o documento. Quem pagar tudo irá concorrer a um Gol G4 0 km.

 

Mais informações:

Viviane Wagenknecht 

Assessoria de Comunicação da Magia de Natal

 

 

Newsletter

©2016 - CDL Blumenau - Todos os direitos Reservados - Desenvolvido por SEDIG.
Topo